sexta-feira, 6 de junho de 2014

Contributo: PolyPortugal


O grupo PolyPortugal participa na Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa para dar visibilidade à forma como a nossa sociedade heterossexista é também uma sociedade mononormativa.

Lutamos pelo fim do privilégio dedicado às ligações monogâmicas no que toca ao acesso a benefícios fiscais e financeiros no acesso à habitação ou no sistema de impostos, considerando que não é papel do Estado policiar o número de pessoas que fazem parte de uma dada relação, ou que maneiras isso constitui a criação de uma família-ideal estatalmente patrocinada, que não reflecte a pluralidade das vivências e famílias em Portugal, em 2014.

Consideramos ademais que isto é particularmente grave tendo em conta o actual estado económico do país, ou as necessidades de revitalização urbana que se fazem sentir mas que, ao mesmo tempo, são deixadas como possibilidade apenas para alguns. Ao mesmo tempo, notamos a inconsistência entre as preocupações estatísticas com assuntos de parentalidade e natalidade quando, mais uma vez, a parentalidade se faz forçosamente associar à figura do casal monogâmico.

Apelamos a uma pluralidade de ligações, de intimidades e de formas de vida como estratégia social e humana para resistir à crise - a união de pessoas, esforços e recursos para além do par, do casal, do número dois e da segregação e segmentação que tanto alimentam o ímpeto ao consumismo e que nos deixam expostxs ao desemprego, ao sub-emprego e à precariedade nas suas várias facetas.

PolyPortugal
www.polyportugal.org

Sem comentários:

Enviar um comentário