sexta-feira, 21 de junho de 2013

Contributo: Clube Safo

O Clube Safo acredita que a sua participação na 14ª Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa, cujo tema é o “Arco-íris contra a crise”, tem o objectivo colectivo do movimento LGBT, vir às ruas lisboetas reclamar, também, uma maior visibilidade das mulheres lésbicas e lutar por mais direitos no caminho da igualdade e combater o aumento das desigualdades a que os mercados financeiros votaram todos e todas nos últimos anos

Pode uma lésbica em 2013 lutar somente pela procriação medicamente assistida, pela co e adopção plena e ignorar a crise que o neo-liberalismo impõe? Nós afirmamos que não.

Para além de reclamar o direito a ser e ter orgulho de uma identidade lésbica, a mulher lés tem, também, que enfrentar todos os dias a luta pelo seu salário e posto de trabalho.

As lutas contra o neoliberalismo e as políticas de austeridade são também as nossas lutas e nelas continuaremos a participar. Pertencemos a uma enorme maioria em busca de mais justiça e duma vida digna e pacífica.

No dia a dia, a lésbica, como todas as mulheres, sofre uma pressão para cumprir os papéis sociais que o patriarcado lhe tenta impor, o dever da reprodução e de cuidadora, reduzindo-as a isso mesmo, unidades de produção e preservação de mão de obra. Tentando diminuí-las, segregando quando não pretendem encarnar, somente, esses papeis tradicionais.

O Clube Safo crê que ser lésbica em 2013 é também lutar pelo direito a uma vida digna e reclamar a escolha em ser ou não, um elemento de reprodução humana.


Reclamamos, por fim, o direito à vivência de uma sexualidade livre, diversa e encarada positivamente. Livre de preconceitos e de imposições sociais e hetero-normativas.


Clube Safo

Sem comentários:

Enviar um comentário